quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Jair Bolsonaro contra os animais e meio ambiente




Temos a convicção de ser impossível elegermos, pelo menos por hora, um representante totalmente abolicionista. Entendemos também que um presidente da República deve ter um programa amplo, que beneficie todas as demandas da sociedade. No entanto, enquanto defensores dos animais, é meio que obrigatório procurarmos eleger os candidatos que atuam em maior consonância com nossa luta.



Neste contexto, o candidato Jair Bolsonaro é a síntese de tudo o que os defensores dos animais deveriam repudiar.



O Crueldade Nunca Mais é um movimento que realiza manifestações nacionais por assuntos que coloquem em risco as garantias constitucionais dos animais, e o Bolsonaro já declarou que pretende acabar com "todos os ativismos" no Brasil.

Mas vai além disso, o Bolsonaro já declarou ter praticado sexo com animais, é um grande incentivador de rodeios e vaquejadas, apoiou, em 2016, transformar rodeios e vaquejadas em patrimônio cultural, mesmo depois da decisão do STF. Em seguida ele apoiou a PEC da Vaquejada. Saiba mais aqui.

É a favor da caça como esporte. Vai extinguir o Ministério de Meio Ambiente e entregá-lo aos ruralistas. E e vai além, ele quer tirar os poder do IBAMA e ICMBio de fiscalizar e multar quem comete crimes contra o meio ambiente, isso inclui o desmatamento, a caça e a pesca, crime pelo qual ele foi multado em 10 mil reais por pescar em uma unidade de conservação federal.

Já declarou que vai tirar o Brasil da Organização das Nações Unidas (ONU) aqui,  vai tirar o Brasil do Acordo de Paris (para reduzir emissões de gases de efeito estufa (GEE) no contexto do desenvolvimento sustentável.), e facilitar o desmatamento na Amazônia aqui... logicamente para aumentar a criação de gado!

A ex presidente do PT, Dilma, sofreu um impeachment onde milhões de pessoas saíram às ruas por isso. O Lula foi condenado e está preso! Para nós, brasileiros, é uma vergonha o Brasil ser o berço do maior esquema de corrupção do mundo, mas o que está em jogo é nosso futuro, o futuro dos animais e das próximas gerações.

É uma questão de sobrevivência. Se você considera que as garantias conquistadas hoje para os animais são insuficientes, pode se preparar para perdê-las. Pode se preparar para deixar de exercer o seu ativismo, pode se preparar para não ter o direito de reclamar.

Sempre há aquele que evoca a frase "O presidente não faz nada sozinho"...

E é sempre bom lembrar que ele não está sozinho! Ele terá a maior bancada do congresso, esse cara vai fazer no Brasil o que ele quiser, junto a bancada ruralista, e tenha certeza de que não é o bem dos animais e muito menos do meio ambiente.

Eu prefiro ter o direito de ir pra rua pra me manifestar contra o PT e a favor dos animais, do que perder o direito de me manifestar.



O vídeo abaixo é a compilação de todas as afirmações feitas acima e atribuídas ao candidato.










É também é a favor das rinhas de galo e considera a caça de animais um esporte.



É a favos dos Rodeios e vaquejadas.



É a favor da caça.




Declarou que já praticou zoofilia (sexo com animais)



Ele também planeja fundir os Ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente.

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Candidatos à presidência e os animais

Temos a convicção de ser impossível elegermos, pelo menos por hora, um representante totalmente abolicionista. Entendemos também que um presidente da República deve ter um programa amplo, que beneficie todas as demandas da sociedade. No entanto, enquanto defensores dos animais, é meio que obrigatório procurarmos eleger os candidatos que atuam em maior consonância com nossa luta.

De acordo com nossas pesquisas os candidatos à Presidência da República elencados abaixo, têm histórico de ações contra os animais:

- Geraldo Alckmin

Tem como vice a Senadora Ana Amélia, da bancada ruralista do Senado e uma das autoras da PEC da Vaquejada. Ela também mostrou indignação, em uma entrevista à GloboNews, sobre a possibilidade de um dia não haver mais mortes de bois e de vacas.

“…nós devíamos estar exportando leite, com plataformas para exportar leite. E tem gente hoje, ouvi num debate nosso, para acabar com o churrasquinho nosso de cada dia, acabar com matar o boi ou a vaca para fazer churrasco…”

Além disso, quando governador, o candidato Alckmin vetou o Código Estadual de Proteção Animal do Estado de São Paulo, que teve o veto derrubado na ALESP, em seguida entrou com uma ADI no STF para derrubar o artigo que proíbe os Rodeios. Vetou também o PL que proibia a experimentação animal nas faculdades e o PL que obrigava informações nos rótulos sobre produtos de origem animal.

- Ciro Gomes
 
Tem como vice a Senadora Kátia Abreu, que também é da bancada ruralista, chegou a presidir a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), tornou-se a primeira mulher a presidir a bancada ruralista no Congresso, adora sopa de jumento e é conhecida como Miss Desmatamento.

- Álvaro Dias 

Também compõe a bancada Ruralista do Senado, relator do PL 2833 que prevê punição de até cinco anos de prisão para quem maltratar cães e gatos, baixou todas a penas do PL, inclusive com relação ao que já temos hoje na Lei de Crimes Ambientais.

- Jair Bolsonaro

É a favor dos Rodeios e Vaquejadas e considera a caça de animais um esporte. Ele também planeja fundir os Ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente.

- Fernando Haddad

Em 2015 autorizou um projeto piloto que "alugou" seis cães para segurança dos cemitérios da cidade de São Paulo, depois da repercussão negativa, uma perita criminal, acompanhada da Polícia Militar Ambiental, visitaram o local e comprovaram os maus tratos dos animais, por conta disso Haddad foi investigado pelo MP e voltou atrás, no entanto vetou o PL que proibia a prática no município. Vetou também o PL que autorizava animais serem enterrados nos jazigos das famílias e o PL sobre o SAMU VET.